Vanguart no Festival Satélite 061 em Brasília

foto: Breno Galtier

foto: Breno Galtier

Texto: Lorrany Farias

Há quem diga que o show do Vanguart em Brasília foi ”Muito mais que o amor”, nome que estampa o disco e a turnê que vem rodando o Brasil inteiro, da banda que carrega nas malas e no coração, um turbilhão de emoções. O sexteto do MT é composto por Hélio Flanders, Fernanda Kostchak, David Dafré, Douglas Godoy, Luiz Lazzaroto e Reginaldo Lincoln e recebe o título de uma das melhores bandas de indie rock e indie folk da atualidade. E não somente isso – me arrisco a dizer que é, senão, uma das melhores bandas de indie rock brasileiro, que faz um show tão completo e tão carregado de amor.

Apesar de alguns contratempos, como som e iluminação, o show em Brasília no Festival Satélite 061 – 24h no ar, no último domingo (28), recebeu um público que respondeu exatamente como poderíamos imaginar para uma banda tão completa e unida assim. Toda a setlist foi cantada com força e sem nenhuma falha pelos fãs.
Lágrimas, abraços, beijos e tantas outras ações e reações foram encontradas pelos nossos olhos, que oscilavam entre assistir ao público e a apresentação linda que a banda fazia no palco que estava a pouquíssimos metros de nós.

Antes que esse show memorável  pudesse começar, tivemos a honra de entrevistar os meninos da banda que foram muito simpáticos conosco. E não somente isso, subimos ao palco com eles e sentimos a energia incrível que um show e um público apaixonado pode transmitir.

Tracklist: Contem pra gente, qual a sensação de poder tocar num Festival como esse aqui em Brasília, que abriu e ainda abre as portas pra tantos outros artistas que estão começando?

Hélio: Ah, a gente veio dos Festivais, podemos dizer assim né?! Tipo, dois anos antes mesmo de ter um disco lançado rodando o Brasil inteiro, tocando em festivais. Então é sempre nostálgico voltar a estruturas assim, festivais assim. Eu acho que melhor do que isso, ainda é o fato de ser de graça, ser num local central. Acho que tudo isso faz a coisa só ficar maior, sabe?! Então é muito legal,a gente tá se sentindo em casa.

Reginaldo: Espero que as pessoas gostem também de saber que a gente tá afim de tocar num esquema desse, sabe?! Ao ar livre, de graça. Pô, isso é demais pra gente! A gente cresceu vendo bandas que a gente nunca nem ouviu falar, conheceu tanta coisa boa assim né?! Se tiver alguém que não conhece hoje, ou que conhece e goste, já tá valendo!

Clique aqui e leia a entrevista na íntegra.