cada dia, cada abraço
o mesmo calor das tuas pernas
passeando nas imagens
são sonhos já não são bobagens
de um filho
e eu vou lá

que eu sou filho dessa chuva
desse calor dos teus olhos
seja eu a tua casa,
seja eu o teu mistério,

teu riso
e eu vou lá
se me faltam caminhos pra ficar

só me importo em não merecer
teus portões fechados
e os teus primeiros passos
o pai sempre só

e poder te ver tão linda
poder te ver chegando

a tristeza é só um berço
pra quando estamos pequenos
fui por lagos, vi paisagens
chorei medo em duas margens de um rio

e eu vou lá
que o mar é destino; desaguar
eu eu vou lá
que o amanhã é destino; descansar